Jornada do Herói Colaborativa

por Sérgio Campelo

23/07/2021

Habilidades BNCC:

(EF89LP35) Criar contos ou crônicas (em especial, líricas), crônicas visuais, minicontos, narrativas de aventura e de ficção científica, dentre outros, com temáticas próprias ao gênero, usando os conhecimentos sobre os constituintes estruturais e recursos expressivos típicos dos gêneros narrativos pretendidos, e, no caso de produção em grupo, ferramentas de escrita colaborativa.

(EF69LP51) Engajar-se ativamente nos processos de planejamento, textualização, revisão/ edição e reescrita, tendo em vista as restrições temáticas, composicionais e estilísticas dos textos pretendidos e as configurações da situação de produção – o leitor pretendido, o suporte, o contexto de circulação do texto, as finalidades etc. – e considerando a imaginação, a estesia e a verossimilhança próprias ao texto literário.

____________________________________

As histórias sempre fizeram parte do nosso imaginário, não é verdade? Sabemos que uma boa história nos leva a viagens inesquecíveis, desperta nossas emoções e nos apresenta lugares e personagens que às vezes lembramos pela vida inteira, e saber contá-las e compartilhá-las também nos traz enormes benefícios, principalmente para nossas crianças: estimula a criatividade, melhora a comunicação e, sua prática, potencializa a habilidade para o desenvolvimento de narrativas. Então, que tal desenvolvermos com nossos alunos uma atividade colaborativa de criação de histórias utilizando a jornada do herói, de Joseph Campbell?

Campbell, mitologista e escritor, escreveu em 1949 a obra O Herói de Mil Faces, onde teorizou sobre as etapas da criação de um mito, o que chamou de Monomito. Segundo o escritor, os heróis partilham de uma estrutura semelhante, que vai desde seu começo em um mundo comum, passando pelo seu convite à aventura, até seu término, onde o objetivo é alcançado.

Utilizando-se dessa abordagem, compartilhei com os alunos um encontro virtual sobre a criação de uma história seguindo essas etapas. Um arquivo de texto foi compartilhado com todos pelo chat da sala, onde puderam colaborar juntos para o desenvolvimento da história.

No texto e imagem abaixo, estão enumeradas na cor cinza as etapas orientando o desenvolvimento da história. Na cor azul, já inicia-se a história escrita colaborativamente. Na parte superior do arquivo, circulados em azul, estão os ícones dos participantes, dando dicas e até escrevendo sugestões, corrigindo e adicionando informações ao texto, tudo acontecendo juntos, ao mesmo tempo, colaborativamente. Fantástico!

_____________________________________________________________________________________________

A JORNADA DO NOSSO HERÓI

(FB – TARDE)

Ato 1: Partida

       1. Mundo Comum

(A situação confortável do herói, seu mundo sem aventuras, com sua família, na sua comunidade…)

No seu escritório, Milena estava realizando mais um de seus afazeres no seu trabalho. Todos os dias eram iguais e entediantes, mas ela queria mudar de vida, fazer com que se sentisse  mais motivada.

       2. Chamado à aventura

(O motivo que provoca sua saída da zona de conforto, um convite, uma provocação, uma paixão, um crime a ser investigado…);

Seu grande sonho era  trabalhar com computadores. Logo, no seu primeiro dia, ela foi hackeada por um pirata digital, o qual excluiu grande parte de seus arquivos. 

       3. Recusa ao chamado

(Nem sempre o herói aceita de imediato o chamado, pode resistir no início, mas aceita porque a partir daí sua jornada começa.);

Neste momento, Milena se assustou e, a princípio, ficou bastante desanimada. “O que será que faço agora?”. “A quem recorrer?”.

       4. Encontro com o Mentor

(Nem sempre aparece, mas o Mentor é aquele que aparece na história para acompanhar o herói na sua jornada, com dicas, armas, enfim, aquilo que nosso herói precisar. Ele pode ser um mago, um grilo falante, um animal, ou, quem sabe, até a própria consciência do personagem);

Para retomar seus projetos, ela decide entrar em contato com alguém que possa lhe ajudar. Andando pela rua, desanimada, ela encontra um pássaro falante, O Senhor Bird, que a ajudou a acalmá-la. Depois de refletir sobre o que deveria fazer, ela tenta entrar em contato com algum técnico de informática.

       5. Travessia do primeiro limiar

(O primeiro conflito, o motivo que provoca o desenrolar da história. Esse conflito não é o mais difícil, porém, é o mais importante, pois toda a história se desenrolará para resolver esse primeiro problema. É o que chamamos de plot principal – veremos isso no próximo texto, ok?);

Milena ligou para o técnico pra ele contando sobre o golpe que sofreu do pirata, e ele a informou de um anti-vírus, chamado “Varinha Magica”.

       6. Testes, aliados, inimigos

(Durante a jornada aparecerão aqueles que ajudarão ou irão prejudicar a caminhada do herói em busca do seu êxito. Obstáculos, amigos, traidores e por aí vai…);

Então, Milena ativa o antivírus, e junto com ele, surgem seus amiguinhos digitais que irão colaborar para derrotar o pirata digital.

Ato 2: Iniciação

      7. Aproximação da Caverna Oculta

(A batalha final se aproxima, a última etapa, aquele suspense se forma para a chegada do último embate.);

Um de seus amigos também foi atacado pelo Pirata Digital, deixando Milena mais determinada de que o Antivírus funcionasse. Ao acioná-lo, um imprevisto aconteceu: ele estava mais forte, e com sua tripulação. 

      8. Provação

(O conflito final!);

Unidos fortemente, os amiguinhos digitais são acionados por Milena e com sua força conjunta, consegue repelir o pirata digital.

      9. Recompensa

(Pronto! Conseguiu a espada, salvou a princesa, conquistou o grande amor da sua vida.);

Milena, aliviada, retorna a sua atividade, e, felizmente, têm os seus arquivos recuperados.

Ato 3: Retorno

      10. Caminho de Volta

(O retorno ao mundo comum. Nem sempre é tão tranquilo…);

Com seus arquivos recuperados, Milena volta a usar seu computador, até que um e-mail misterioso aparece, ameaçando expor seus segredos, em sua caixa de entrada. 

      11. Ressurreição

(Um último teste, um novo clímax para que nosso herói prove que ressurgiu em uma nova vida, em um ambiente renovado, reconstruído.);

Mas com a ajuda dos seus amigos técnicos de informática, eles conseguem criar um código para que a mensagem não seja descarregada e, assim, não apague os arquivos de Milena.

      12. Resolução / Final Feliz

(Agora sim, definitivamente, “The End).

Após os piratas digitais desaparecerem e o email ser apagado, Milena retorna feliz as suas atividades com um sistema mais protegido e, ao final do dia, consegue conclui-lo tranquilamente.

_____________________________________________________________________________________________

 

Além disso, foi utilizado para estimular a criatividade dos alunos o jogo Story Cubes, uma pequena caixinha com doze dados que, quando jogados, apresentam imagens para que sirvam de referências para a criação dos personagens, cenários, vilões, e por aí vai.

Foi uma experiência e tanto. Os alunos que participaram, do 8ª e 9º ano do ensino fundamental, interagiram e colaboraram bastante.

[/et_pb_text][/et_pb_column][/et_pb_row][/et_pb_section]

Gostou? Compartilhe nas suas redes!

Comente qual sua opinião sobre esse texto!

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

artigos relacionados

Inscreva-se na nossa Newsletter