Pauta formativa: construção de saberes docentes em reuniões pedagógicas.

por Andréa Araújo

30/05/2022

Encontros formativos coletivos são essenciais para a desenvolver diversos tipos de reflexões e autorreflexões, sempre com o intuito de potencializar o ensino e a aprendizagem. O objetivo desse texto é trazer alguns pontos teóricos e metodológicos sobre a importância da elaboração de uma pauta formativa para esses encontros, pois eles devem ser significativos para os/as docentes e proporcionar a (re) configuração de novas ações.

 

Para cada encontro formativo, é necessário organizar uma pauta e, nela, estruturar cada momento junto aos/às docentes. Organizar e realizar uma formação pedagógica continuada no contexto da escola não é uma tarefa tão simples, mas é um rico desafio, pois nos coloca em movimento de inventividade, criatividade e de alinhamento de intencionalidades, ou seja, é um momento de aprendizado.

 

Espero, com esse texto, inspirar na constituição dos encontros formativos na sua escola! Nesse sentido, vamos refletir? Quais são, então, os pontos estruturais para elaborar uma pauta formativa? Primeiro é fundamental anotar qual é o objetivo que se pretende alcançar e, assim, tornar esse momento de encontro coletivo o mais proveitoso possível.

 

De onde parte esse objetivo? De necessidades observadas no contexto escolar (nas salas de aulas, nos resultados das avaliações (externas e internas), por exemplo. É possível também que ele seja ilustrado nas formações coletivas, em um comentário apresentado por um/a docente, em uma resposta à uma pergunta, em momentos de diálogos e de dúvidas, em resultados de uma produção em pequenos grupos e assim por diante. Por isso, o olhar da liderança deve ser apurado para vários espaços da escola e a escuta ativa cada vez mais desenvolvida e expandida.

 

O essencial é promover uma pauta para esse momento onde ele deixe de ser meramente formal e passe a fazer parte da construção de reflexões pautadas nas necessidades observadas no cotidiano escolar, ou seja, para além de um momento informativo (que também é importante, mas muitas informações podem acontecer por e-mail e/ou outras formas comunicativas) ele deve ser, prioritariamente, formativo.

O momento de formação coletiva deve ser elaborado previamente e várias etapas precisam ser pensadas para que se possa alcançar o que foi pretendido apresentando claramente a intencionalidade para cada ação. Lembrar, também, de elaborar situações que favoreçam o aprendizado ou início de reflexões que serão norteadoras de encaminhamentos para a necessidade elencada e priorizando a aprendizagem dos/as alunos/as e, isso, pode acontecer com estudos de casos criados pelas próprias lideranças que farão a mediação do encontro.

Silvana Tamassia, cita que:

 

Para isso, novamente destacamos a importância da coordenação organizar uma pauta formativa que privilegie diferentes estratégias metodológicas, garantindo, principalmente, momentos de reflexão em pequenos grupos, momentos de análise de práticas e de leitura e embasamento teórico. (Tamassia, 2011, p.183)

 

Para Roberto Sidnei Macedo a formação necessita de um conjunto de condições e mediações para que as aprendizagens pretendidas sejam alcançadas. Entendemos que as mediações são ações, de certa forma, mais centralizadas nos/as gestores/as, mas construindo momentos em que todos se tornem participantes dos processos de reflexão.

Clique aqui para acessar o e-book e continuar a leitura.

Gostou? Compartilhe nas suas redes!

Comentários sobre o texto

  1. Lilian Fotin Talib disse:

    Andréa , excelente texto! Sempre oportuno salientar a importância da construção de uma pauta que atenda às necessidades do grupo. Parabéns!!!

Comente qual sua opinião sobre esse texto!

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

artigos relacionados

Inscreva-se na nossa Newsletter