Sustentabilidade na Educação Infantil

por Ana Luzia da Silva Vieira

31/05/2021

Figura 1- Cuidando da horta

Será que as crianças conhecem as maçãs, abacates, melancias? Falo da fruta inteira, com textura e cores em suas cascas, com seus caroços e sementes. Apesar de comerem frequentemente em suas refeições, geralmente recebem os alimentos preparados em frações pequenas para o consumo próprio e muitas vezes, pensam que o abacate é aquele creme docinho, o mamão são os pedacinhos molinhos e assim por diante.

Será que sabem de onde vem as folhinhas verdes picadas oferecidas em salada, como elas se desenvolvem e o que elas precisam para crescer e, ainda, como elas são importantes para nossa saúde?

Entendem por que as formigas ou qualquer outro animal precisam ser cuidados e preservados assim como os bichinhos de estimação?

Figura 2- Explorando a terra e as plantas

Será que perceberam que as plantas só vivem se estiverem na terra e morrem ao serem arrancadas e precisam de água e cuidado diário?

Compreendem os motivos pelos quais não devemos desperdiçar água, alimentos ou qualquer outro material e não deixarmos as luzes acesas depois que saímos dos espaços que usamos?

Será que imaginam os motivos pelos quais insistimos para que respeitem o coleguinha e que usem da afetividade na sua forma de se relacionar?

De fato, é imperativo que as crianças aprendam a se cuidar, cuidar dos outros e do meio em que vivem e, nós professores, temos um campo imenso de possibilidades de aprendizagens para favorecer essas experiências significativas tendo como base princípios éticos, democráticos, inclusivo, sustentável e solidários.

Gostaria de apresentar para aqueles(as) que não conhecem ou ajudar a rememorar para outros(as) que já tiveram contato, uma importante declaração, A carta da Terra, escrita como um pedido de socorro pela conservação ambiental, construída democraticamente com a participação de representantes de 46 países e que, se mantém atual e necessária até os dias de hoje.

Figura 4- Brincando com terra

A carta da Terra é uma declaração que reúne quatro princípios éticos e 16 estratégias cujo objetivo é formar uma aliança global para garantir os cuidados com o nosso planeta, de forma justa, sustentável, ética e pacífica. Em 2020 completamos 20 anos dessa declaração, cuja temática gira em torno da compreensão de que a Terra é viva, que fazemos parte, com os demais seres vivos, de sua comunidade de vida e temos a responsabilidade de assegurar o bem-estar de todos que nela habitam.  Não há dúvidas de que os princípios precisam ser considerados na sua amplitude e complexidade e convido-os a ler a carta na íntegra, mas quando trazemos para o nosso dia a dia vimos que ações simples e corriqueiras podem fazer toda a diferença.

Fica sempre a pergunta: o que posso fazer para contribuir? Tenha certeza de que as ações individuais fazem diferença, afinal se todos nós começássemos a agir poderíamos colher resultados surpreendentes. Como mostra a charge Bechilustras@gmail.com, não estamos sozinhos, mas espalhados.

E nós, que nos dedicamos para uma educação infantil de qualidade, como fazemos para levar essas discussões e reflexões às crianças tão pequenas?

De acordo com a Base Nacional Comum Curricular (BNCC) temos objetivos de aprendizagem e desenvolvimento para cada uma das faixas etárias, dentro do campo de experiências “Espaços, tempos, quantidades, relações e transformações”, conforme ilustrado na tabela a seguir:

São muitas as formas para introduzir esses objetivos de aprendizagem e desenvolvimento, mas gostaria de compartilhar algumas estratégias utilizadas com crianças pequenas tendo como base o livro Carta da Terra para crianças” e, que espero, poder inspirá-los.  Esse livro foi publicado pelo NAIA – Núcleo de Amigos da Infância e Adolescência, com o objetivo de propor vivencias da carta da Terrano dia a dia das crianças.

O livro, assim como a Carta da Terra, também está dividido em princípios, escritos de uma forma simples, acessível e maravilhosamente ilustrados, os quais podem direcionar sequências didáticas e projetos para serem desenvolvidas no decorrer do ano. A seguir apresento os princípios e algumas sugestões, possíveis de serem realizadas na escola e em casa:

Essas são algumas ações possíveis. Espero que auxilie no planejamento de educadores que trabalham com esta faixa etária e na ação das famílias. Há outras ações que você desenvolve que também podem contribuir? Que tal nos contar e ampliar essa rede de possibilidades?

Referências:

Gostou? Compartilhe nas suas redes!

Comente qual sua opinião sobre esse texto!

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

artigos relacionados

Inscreva-se na nossa Newsletter