A arte de dar feedbacks eficazes

por Kátia Veloso

03/07/2020

Segundo o dicionário de etimologia e origem das palavras¹, o vocábulo arte é originário do latim ars e significa literalmente “técnica”, “habilidade natural ou adquirida” ou “capacidade de fazer alguma coisa”. Por esse prisma, podemos classificar a ação de realizar um feedback como arte, uma vez que, para que essa ação seja eficaz, é preciso ter habilidades específicas, que pode ser uma aptidão nata ou pode ser adquirida e, em ambos os casos, podem perfeitamente ser aprimoradas.

Continuando com a nossa associação, segundo a arte-educadora e pesquisadora Laura Aidar²: a arte possui um caráter estético e está intimamente relacionada com as sensações e emoções dos indivíduos. Nesse caso, o caráter estético do feedback está diretamente relacionado com o seu planejamento e a forma como a mensagem será abordada e transmitida. Além disso, ao promover um feedback de cunho assertivo e propositivo, o emissor também acessa as sensações e emoções do receptor, sendo capaz de motivar e encantar essa pessoa que recebe a mensagem de forma tão genuína quanto o encantamento que é experenciado em face de uma obra de arte que o sensibiliza. Por outro lado, essa ação também pode causar apreensões, nervosismo e até mesmo certa repulsa (por aquilo que é lido ou dito), assim como é uma reação possível de acontecer ao nos depararmos com as mais diversas formas de arte existentes: a pintura, a dança, a música, o cinema, a literatura, a arquitetura etc. Nesse último caso, inclusive, há um agravante em relação ao feedback, pois quando essa ação não atinge o seu objetivo ou funciona no sentido oposto ao desejado, o receptor se torna temerário e resistente, comprometendo inclusive o seu próprio desenvolvimento. Portanto, a arte, assim como o feedback, por envolver as emoções e interpretações humanas, estão sujeitos às mais singulares formas de reação. E você, caro, leitor, qual foi a sua reação ao último feedback que recebeu?

Sabemos que apresentar feedbacks faz parte da rotina das pessoas e estamos praticando essa arte (talvez muito mais frequente do que de fato temos consciência) quando comentamos sobre a nossa percepção em relação a determinados acontecimentos, quer seja no núcleo da nossa família e amigos, o que acontece de maneira informal, quer seja no desenvolvimento das nossas funções profissionais, como uma das ações que nos é atribuída, o que confere um caráter mais formal e elaborado dessa ação.

Nesse caso, o questionamento que podemos fazer aqui, principalmente para as pessoas que apresentam (e que também recebem) feedbacks de cunho profissional, o que envolve praticamente todos que trabalham na área da Educação, é:

Como posso obter uma qualificação Master na arte de promover feedbacks eficazes?

Porém, antes de responder essa pergunta, é interessante refletirmos o motivo pelo qual essa busca deve ser feita. Bill Gates³, em sua palestra intitulada Professores precisam de verdadeiro feedback, proferida para TED Talks Education, afirma que: Todos nós precisamos de alguém que nos dê feedback. É isso que nos faz melhorar! Ao partimos do pressuposto que todos desejam melhorar, essa ação se torna indispensável. O aluno precisa do feedback do professor sobre o seu desempenho, o professor precisa do feedback da equipe gestora, que por sua vez também se beneficia do feedback feito pelo técnico de acompanhamento e assim sucessivamente. Entretanto, para que de fato a melhoria almejada possa ser instaurada nessa homologia de processos, há características fundamentais que devem estar presentes nessa ação, o que nos leva de volta a pergunta acima.

Se você, caro leitor, está curioso para saber a resposta, peço que aguarde só mais um instante, o tempo suficiente para mais uma (e última) reflexão a ser feita, vamos lá? A eficácia do feedback está diretamente relacionada com a sua intencionalidade. Para Stone & Heen (2017)⁴, dependendo do propósito, temos 3 tipos de feedback:

Esse tipo de feedback está diretamente relacionado às relações, ligado diretamente aos vínculos entre emissor e receptor e é justamente o fato de termos nossas ações reconhecidas que nos motiva, nos dá impulso para redobrarmos os nossos esforços e seguir em frente.

Esse tipo de feedback tem por objetivo ajudar o outro a crescer, a aprender, a se desenvolver. O foco é incentivar a aperfeiçoar o trabalho que se desenvolve, seja por meio de formação, de uma ideia, de uma leitura, de um auxílio para a construção de um conhecimento, de um exemplo, de uma prática específica, ou até mesmo de uma opinião. A orientação pode ser suscitada por 2 tipos de necessidade: melhorar/aprimorar os conhecimentos ou técnicas para superar desafios, ou para corrigir uma postura ou determinado comportamento.

Esse tipo de feedback tem por objetivo revelar a situação em que o receptor se encontra, é uma análise ou uma comparação em relação ao ponto de partida e o avanço feito, ou as expectativas de chegada. Tem por finalidade ajustar essas expectativas, esclarecendo as consequências e subsidiando as tomadas de decisões para futuras ações.

Vale destacar que é possível que um único feedback contemple um ou mais dos tipos acima mencionados. Todos são importantes porque cada forma de feedback – reconhecimento, orientação e avaliação, satisfaz um grupo diferente de necessidades humanas. As pessoas precisam do reconhecimento para sentir que os seus esforços não foram em vão e para serem capazes de se enxergar no processo. Também é preciso a orientação para saber se estamos (ou não) no caminho certo, se os nossos esforços estão na direção desejada ou se há a necessidade de ajustes, o que nos permite focar o nosso tempo e nossa energia no que realmente importa e fazer com que as relações sejam produtivas e colaborativas. Além disso, a avaliação é parte integrante do processo por proporcionar informações relevantes em relação a saber em que posição estamos no momento, a estabelecer expectativas e nos sentirmos cada vez mais confiantes ou seguros na realização de nossas ações.

Após entendermos a importância do feedback e estabelecermos a finalidade para essa ação, vamos retomar a nossa pergunta.

Com base no conceito apresentado por Costa⁵ (2009, p.115), feedback é o procedimento que consiste no provimento de informação a uma pessoa sobre o desempenho, conduta, eventualidade ou ação executada por esta, objetivando orientar, reorientar e/ou estimular uma ou mais ações de melhoria, sobre as ações futuras ou executadas anteriormente, a resposta para questão acima, ou seja, para promovermos feedbacks eficazes, é preciso considerar três aspectos fundamentais:

Estar preparado não só permite que você otimize esse momento e esteja mais confiante e seguro como também é um sinal de respeito e consideração pelo profissional receptor. Aproveite esse momento para agendar ou confirmar o agendamento da realização desse encontro (oral) ou do envio do feedback (escrito). Cuide também para incluir a apresentação de sugestões para orientar o “como” o receptor pode colocar em prática “o que” foi sugerido. Além disso, aproveite esse momento para verificar se o feedback planejado contempla as sete características para se tornar útil, segundo Fela Moscovici⁶. Essa sugestão de leitura pode ser encontrada na bibliografia.

Utilize a comunicação como uma aliada para favorecer a integração entre vocês. O conteúdo a ser abordado e o como você vai apresentar e conduzir o feedback irá influenciar e afetar o processo como um todo, por isso use paráfrases, faça perguntas esclarecedoras e de sondagem, e pratique a escuta ativa, estando atendo aos sinais e aquilo que é dito, sem ser dito, isto é, aos gestos e demonstrações que o rosto e o corpo oferecem sem o auxílio das palavras. Lembre-se: a eficácia do feedback perpassa pela união da sensibilidade e de técnicas.

Mantenha o processo documentado, que pode ser fonte de estudos tanto para o seu desenvolvimento quanto para o receptor, principalmente se serão conduzidos outros feedbacks para o mesmo receptor. Faça uma autorreflexão sobre a sua condução e verifique os pontos de melhoria que podem ser trabalhados. Mantenha-se ativo e aprendente, isto é, leia, pesquise, converse com seus pares, procure possibilidades de aperfeiçoamento das técnicas que utiliza e também novas estratégias que possam contribuir com o seu desempenho.

De acordo com Knapik⁷ (2008, p. 111) […]todos precisam saber se suas ações são ou não eficazes, só assim é possível reforçar as ações desejadas e corrigir as indesejadas. O desenvolvimento da prática do feedback – a disposição para dar e receber críticas e sugestões – é um indicador de maturidade, de autodesenvolvimento e auxilia na formação de equipes engajadas e comprometidas com os processos de trabalho […]. Portanto, caro leitor, aliada aos três aspectos acima, a dica é: pratique! Quanto mais você colocar em prática os passos acima, maior será a possibilidade de desenvolver as habilidades necessárias para realizar feedbacks cada vez mais eficazes e alinhados com o propósito a que se destinam e as necessidades do receptor. A prática também proporcionará esse amadurecimento mencionado por Knapik, tanto para realizar quanto para receber feedbacks.

Como formadora na Elos Educacional, eu tive a grata oportunidade de conhecer e exercitar um modelo de estrutura de planejamento e apresentação de feedback que está presente nos cursos que são oferecidos, como Gestão de sala de aula, Gestão para a aprendizagem e Formação de formadores. Com base na experiência de ter atuado nesses projetos, posso afirmar com convicção que todo o investimento feito na preparação e execução do feedback é mais do que recompensado pelos resultados obtidos, tanto nos âmbitos profissional quanto até mesmo no pessoal.

Com as dicas acima, fica registrado aqui o nosso desejo de que você se torne um artista Master cada vez mais integrado nessa sua arte de apresentar feedbacks eficazes e que você encante e promova melhorias efetivas para todos aqueles ao seu redor que se beneficiam da sua arte.

Como sugestão, que tal colocar essa arte em prática e deixar registrado o seu feedback sobre esse artigo nos comentários abaixo? Obrigada!

_____________________________________________________

Bibliografia:

¹https://www.dicionarioetimologico.com.br/arte/

² https://www.todamateria.com.br/o-que-e-arte/

³https://www.ted.com/talks/bill_gates_teachers_need_real_feedback/transcript?language=pt-br#t-1702

⁴ STONE,Douglas. HEEN, Sheika. Obrigado Pelo Feedback. Editora: Portfolio, 2016.

⁵ COSTA, Maria Eugenia Belezak. JUNIOR, Luiz Carlos Beeker. REIS, Ana Maria Viegas. TONET, Helena. Desenvolvimento de Equipes. Rio de Janeiro, Editora FGV, 2009.

⁶ MOSCOVICI, Fela. Desenvolvimento interpessoal: treinamento em grupo. 20ª ed. Rio de Janeiro: José Olympio, 2011.

⁷KNAPIK, Janete. Gestão de Pessoas e Talentos. Curitiba, Editora IBPEX, 2012.

 

Gostou? Compartilhe nas suas redes!

Comentários sobre o texto

  1. Edneia Regina Burger disse:

    Parabéns, Kátia.
    Texto esclarecedor e bem escrito.
    Amei!

  2. Karen K. Sacchetto disse:

    Maravilhoso texto, Ká!!!!!

    Abrangente nas dimensões e específico no aprofundamento.

  3. ANDREA ARAUJO DOS SANTOS disse:

    Kátia!
    Para mim, esse tema é de extrema relevância, não só na Educação, como na vida!

    Parabéns pelo texto e pela forma artística de apresentar o tema!
    Como sabe, amo arte!
    Adorei!
    Abraços.

  4. Maria Aparecida Pereira Furtado disse:

    Adorei o texto!
    Feedback é muito importante.

  5. Rita FerreiraMarcelino Vasconcelos disse:

    Que texto maravilhoso. Em outros tempos, eu teria até vergonha de dizer que entendia feedback apenas como uma forma de avaliar uma situação ou pessoa, no sentido bem de emitir juízo de valor mesmo. Numa perspectiva muito limitada. Entendi um pouco melhor sobre isso, recentemente. E, hoje, este texto me ampliou bastante a visão sobre esta estratégia. Obrigada

  6. Ana Moreira Martins Marques disse:

    Ana Moreira Martins Marques 3 de julho de 2020. Parabéns Kátia!!!!! O seu texto me fez refletir sobre momentos importantes que poderiam terem sidos mais produtivos se eu tivesse usado desse meio de comunicação tão positivo. Seu texto foi muito enriquecedor.

  7. PATRICIA VIEIRA SARMENTO SILVEIRA disse:

    Parabéns Kátia! O texto está excelente e trouxe muitas contribuições. Obrigada!

  8. Kátia Veloso disse:

    Olá, Ednéia!
    Que bom que gostou.
    Um forte abraço!

  9. Kátia Veloso disse:

    Olá, Patrícia!
    Que demais saber que você gostou do texto.
    Agradeço o seu comentário.
    Um grande abraço.

  10. Ireneide da Silva Lima Veiga disse:

    …” Todos precisam saber se suas ações são ou não eficazes ,só assim é possível reforçar as ações desejadas e corrigir as indesejadas.”
    O comentário acima diz tudo sobre feedback e atrelado aos passos para a realização do mesmo ; o antes. o durante e o depois nos torna um artista Master.

  11. Gilmar Pereira dos Santos disse:

    Parabéns Kátia, realmente esses passos importantes que você colocou no seu texto é fantástico, ele traz uma luz. Eu já fiz vários feedback mais após esses orientações que você disponibilizou confesso que vou melhorar muito mais na minha atuação com os professores na realização dos feedbacks.

  12. Cristiane Oliveira disse:

    Olá!

    Este texto é muito esclarecedor eu pude aprender muito,
    muito obrigada por nos apresentar um excelente trabalho.

  13. joel correa de olveira disse:

    Amei o texto Vou praticar mais…

  14. Kátia Veloso disse:

    Olá, Cristiane!

    Fico contente que o texto tenha encontrado ressonância em ti.
    Obrigada a você pelo comentário.
    Um forte abraço!

  15. Kátia Veloso disse:

    Olá, Joel!
    Que bom! Isso mesmo – praticar é a chave para aprimorarmos nosso feedback.
    Vamos em frente!
    Até a próxima!

  16. Kátia Veloso disse:

    Olá, Joel!
    Isso mesmo – praticar é a chave para aprimorarmos nosso feedback.
    Vamos em frente!
    Até a próxima!

  17. Elienne Marciel dos Santos disse:

    Olá !!! nossa isso que e esclarecimento, orientação e sugestões como fazer um feedback. amei o texto, realmente só temos que praticar.

    Sucesso!!

    um forte abraço 🙂

    Ate +

  18. Maria Nilda Santos disse:

    Olá boa noite, é um texto muito bom que nos permite refletir nosso dia a dia e depois colocar em prática o que aprendemos.

  19. Mari sousa disse:

    Gostei do texto, bem esclarecedor para que possamos pratica-lo.

  20. Maria Mossilenici Rocha Almeida disse:

    Excelente texto, bastante esclarecedor e nos favorece a criarmos situações inovadoras no proceder da nossa prática.

  21. Maria Eduardo da Conceição disse:

    Muito bom!
    Parabéns, esse texto trouxe muita reflexão e vamos aprimorar o nosso trabalho.

  22. Hildamara Costa disse:

    Sensacional!!!

    Texto bastante expressivo e de boa compreensão.

  23. Terezinha Oliveira da Silva disse:

    Obrigada,

    Texto excelente.

    Muitas vezes na correria do doa a dia, esquecemos de praticar o feedback.

    E esse texto nos faz refletir sobre a importância desse contexto em todas as situações.

    Parabéns pelo texto.

    Terezinha Oliveira da Silva

  24. Mariluce Leal disse:

    Boa tarde..

    Gostei muito do texto, e do tipo esta sempre para consulta para os momentos de preparação da ação, pois na complexidade de trabalhos gestor pedagógicos essas ferramentas precisão ser consultiva.

  25. Cátia Martins disse:

    Olá Kátia, parabéns pelo texto!!! Muito esclarecedor me ajudou bastante. Obrigada.

  26. Maria Elenice Marques Alves disse:

    Parabéns pelo texto esclarecedor! Com certeza ajudará muitos que como eu, não tem muita habilidade em fazer feedbak com sua equipe. com certeza com os conhecimentos adquiridos através da reflexão trazida nesse texto terei maior segurança em realizar essa atividade tão necessária para a eficácia do ensino e aprendizagem de nossa escola.

  27. Ivonete Pinheiro disse:

    o texto foi bem esclarecedor gostei

  28. Claudiene Santos Correia disse:

    Texto maravilhoso.
    Que nos remete uma vigem ao tempo, na nossa trajetória pedagógica e avanços obtidos.
    Neste texto vem pra reforçar a importância do feedbak que as vezes devido a correria do cotidiano deixamos a desejar. Compreendemos quão significado esta prática traz de benefícios para a escola coo todo.

  29. Kátia Verginia Cantão Veloso disse:

    Olá, Terezinha!
    Eu que agradeço pelo seu feedback!
    Fico feliz da expansão que você destaca – de fato, o feedback é importante em todas as situações e para todas as pessoas – e quem também concorda com isso é Bill Gates. Segundo ele: “Todos nós precisamos de alguém que nos dê feedback. É assim que melhoramos!”
    Abraço e até mais!

  30. Ataques Marques da Silva disse:

    Olá. Parabéns Katia, seus textos são muitos relevantes, e relevantes qdo se para para analisar a necessidade de uma construção coletiva e reflexiva e que todos precisam de feedback , para min foi de grande valia e vejo que é uma luz no processo administrativo e pedagógico para o sucesso. Obrigado. Amei.

  31. Kátia Verginia Cantão Veloso disse:

    Olá, Ataques!

    Que bom, fico feliz que tenha gostado do texto!
    Agradeço pelo seu feedback.
    Que as reflexões possam ser ampliadas e que nossa contribuição possa ser cada fez mais efetiva no desenvimento do outro, nosso e coletivo.
    Um grande abraço!

  32. Eliane Littig disse:

    Muito bom o texto! Nos faz refletir sobre a importância de respostas assertivas e comprometidas com a escola.

Deixe um comentário para Maria Eduardo da Conceição Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

artigos relacionados

Inscreva-se na nossa Newsletter